terça-feira, 25 de dezembro de 2012

terça-feira, 30 de outubro de 2012

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

sábado, 8 de setembro de 2012

O QUE ACONTECE

Não sou poeta afamado,
Nem escritor de nomeada, 
Escrevo o que foi ensinado,
Não tenho a pretensão de publicar nada.

Escrevo ás vezes uns versos
Com base no que me foi dado
Por vezes são um pouco adversos,
Por isso neste blogue é publicada.

Os meus amigos leitores,
Não fiquem desanimados,
Porque nem todos podem ser doutores,
E também nem todos serem afamados.

Os versos  são como o amor
Uns são perdidos pela paixão,
E estão  na memória com fervor,
Outros como se andasse na escuridão.

Assim quando ao cérebro afloram
Como qualquer coisa brilhante,
São como os seres que namoram!
Mas juntinhos para ser mais importante!...
                          dcb

A CRIANÇA

Hoje quando passeava,
Junto de uma Escola,
Apreciei uma criança quando brincava,
E na sua mão tinha uma pistola.

Essa criança que eu olhava
Era alta esbelta e formosa,
E com altivez as outras olhava
A sua face tinha uma mancha rosa.

Que ficava vermelha quando gritava,
Para chamar há atenção,
O seu olhar era altivo e em tudo reparava!

Parecia que nada lhe escapar á sua atenção,
Olhava em tudo o que há sua volta girava!
Notava-se que aquela criança era de outra geração.
                               dcb
 

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

                A JUVENTUDE PERDIDA

                                 Aos Combatentes do Ultramar
                                 Que foram jovens sem juventude:
                                  Actualmente alguns sobreviventes?
                                 Dessa Guerra sem Par.
                                 Nela sofreram com humildade!
                                 Hoje com a Pátria estão descontentes.
 
 
                                 Não lhes foi garantido o devido respeito
                                 Nem respeitada a sua dignidade
                                 No mínimo como cidadãos carentes.
                                 A mágoa que cada um sente no peito
                                 Tratados com indiferença pela sociedade
                                 Onde convivem em tristeza permanente.
 
 
                                  Os actuais governantes do Povo Português,
                                  Até dessa mera cortesia se esqueceram,
                                  Para não revelarem, o que na guerra  aconteceu.
                                  Mas sabem a eles dirigir-se com altivez
                                  Em comemorações, recordando os que pereceram
                                  Esquecendo os que nada tem de seu.


                                  Há quase quatro décadas que a guerra terminou
                                  Também o regime foi modificado,
                                  Bátizado com o nome de Democrático.
                                  Nessa data muito foi prometido e o povo acreditou,
                                  Tudo o que foi prometido depressa foi ignorado
                                  Anunciando-se agora que vem aí um futuro dramático.
 
 
                                  Será que o Povo ainda dorme
                                  Nesta Panóplia de roubos engano e mentira,
                                  Que a todos vai no dia a dia sufocando.
                                  Em que a dificuldade de sobrevivencia é enorme
                                  Será que desta lição a população nada retira,
                                  Vendo o seu bem estar a cada dia ser definhado.
 
 
                                   Mãe Pátria, vê o que deste a conhecer
                                   Governos que não tiveram sentimento,
                                    Nem tampouco compaixão ou preconceitos.
                                    Contudo o que pretenderia saber:
                                    Era até que ponto vai chegar este sofrimento,
                                    A que os teus filhos, por estes ladrões estão sujeitos!...
                                                                  dcb   

                                                                     
 
                                      

terça-feira, 14 de agosto de 2012

O SEGREDO


                                                                          O SEGREDO
                                    
                                                             As esferas sagradas do paraíso,
                                                             Encontram-se entre a ilha central,
                                                             E os planetários de Havona do sorriso,
                                                             Intercaladas no Universo Ancestral.

                                                             São três os circuitos especiais,
                                                             Onde se encontra o Espírito Santo,
                                                             Quando o imaginário quer demais,
                                                             A glória do eterno, estende o seu manto.

                                                             O Universo gira em volta do eterno,
                                                             Que se colocou no centro Universal,
                                                             Criando o saber  cultivar o moderno,
                                                             Com a criatividade Espiritual.

                                                             O infinito é desconhecido por natureza,
                                                             Isto é a sabedoria da Universalidade,
                                                             Que começa e acaba sempre com pureza,
                                                             Com a criação da sua personalidade.

                                                             Estes são os segredos de uma missão,
                                                             Criada pelos ajustadores do Paraíso,
                                                             São as criaturas da oração,
                                                             Que Deus criou por ser preciso.
                                                                                    dcb

Arasseiro Castanho


sábado, 21 de julho de 2012

terça-feira, 17 de julho de 2012

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A NATUREZA
 Sou um amante da natureza,
 E de tudo o que ela nos oferece,
 Apreciador de toda a sua grandeza?
 Incluindo tudo o que ela nos fornece.
 Analiso o seu perfume natural?
 Aquele que se respira, dando vida aos pulmões,
 O ar puro da natureza a nada faz mal,
E que dá vida aos nossos corações.
 Ao olhar as frondosas árvores,
Aquelas de maior imponência,
 Expelindo na atmosfera seus odores?
 É pela sua importância,
E pelos seus reais valores
 Que o oxigénio é expelido em abundância.
 dcb