segunda-feira, 22 de maio de 2017

O PRIMEIRO POVO A HABITAR A IBÉRIA


Os IBEROS, foram o primeiro povo que habitaou as regiões do Sul e do Leste da Península Ibérica na Antiguidade e no que diz respeito à sua origem existem três versões.
     Segundo a primeira teoria, os Iberos são os habitantes originais da Europa Ocidental e os criadores da grande cultura megalitica que teve início em Portugal. Segudo outra teoria, os Iberos são de origém Ibéria caucasiana e construiram ópidos muito semelhantes às mesmas construções encontradas na Escócia, a forma de tecer e colorir cobertores de lâ grossa era a mesma em regiões do Cáucaso, no sul de Portugal (Alentejo) e na Escócia, no fim do VI milénio antes de Cristo, tendo-se espalhado pela Penísula Ibérica, nFrança, Grã-Bretanha, Irlanda e Dinamarca, até meados do II milénio antes de Cristo.
     Esta teoria apoia-se em evidências arqueológicas genéticas e linguísticas. No caso de esta teoria ser verídica, o Iberos foram o mesmo povo dominado pelos Caltas no I milénio antes de Cristo na Irlanda, Grã-Bretanha e França. 
     Quando as primeiras migrações celtas chegaram  ao ocidente europeu, os iberos já estavam estabelecidos há alguns milénios,  principalmente no leste da Penísula Ibérica, uma região onde eles lutavam ferozmente contra a dominação romana. A migração e o nomadismo eram muito comuns naquele tempo. Contra  os romanos a aliança entre Iberos e Celtas formou-se mais forte.
     A  eciclópedia Britânica define os ingleses como descendentes dos Iberos e dos Celtas. Contudo, estes povos eram culturalmente diferentes, embora a reça fosse a mesma.
     Por outro lado, uma terceira teoria sugereque eles são originários do Norte de África, a região da qual provavelmente emigraram no séculoVI antes de Cristo, para a Penísula Ibérica à qual deram o nome, desde que ocupara uma faixa de terra entre Andaluzia e Languedoc na França. Foram parceiros comerciais dos Feníncios,  os quais fundaram dentro do território dos Iberos, várias colónias comerciais, tais como Cadis, Eivíssia e Empúrias. Foram assimilados pelos Celtas no século I antes de Cristo, formando o povo conhecido como Celtiberos.
     As ondas de emigração de povos Célticos desde o século VIII até ao século VI antes de Cristo, entraram em massa no noroeste  e centro da atual Espanha, e também em Portugal e Galiza, mas deixaram  intactos os povos indígenas da idade do Bronze Ibérica no Sul e leste da penísula.
     Geógrafos gregos deram-lhe o nome de Ibéria, provavelmente devido ao rio Ebro (Iberus) e todas a tribos ali instaladas na costa sudeste, mas, no tempo do historiador grego Heródoto (500 antes de Cristo), este era aplicado a todos os povos entre os rios  Ebro e Tinto Hulba, que provavelmente estavam linguisticamente vinculados e cuja cultura era distinta dos povos do norte e do oeste. No entanto, havia áreas intermédias entre os povos Célticos e Iberos, tais como as tribos Celtiberas do noroeste da Meseta Central e na Catalunha e em Argão.
     Das tribos iberas mencionadas pelos autores clássicos, os Bastetanos eram territorialmente os mais importantes e ocupavam  a região de Almeiria e as zonas montanhosas da região de Granada. As tribos a oeste dos Bastetanos eram normalmente agrupadas como "Tartessos", um nome derivado  da Tartéssia que os gregos davam à região.
     Os Turdestanos do Vale do Rio Guadalquivir eram os mais poderosos deste grupo. Em relação à sua cultura, as tribos do noroeste  e da costa valenciana eram muito influenciadas pelas colónias gregas de Emporium (a moderna Ampúrias) e, na região de Alicante, a influência provinha das colónias fenícias de Malaca, Sexi, Almunécar e Abdera (Adra), que depois passaram para os cartagineses.
     Na costa leste, as tribos Iberas parecem ter estado agrupadas em cidades-estado independentes. No sul surgiram monarquias, e o tesouro de El Carambolo, perto de Sevilha parece ter estado na origem da lenda  de Tartessos. Em santuários religiosos encontraram-se estatuetas de bronze e terracota, especialmente nas regiões montanhosas. Há uma grande variedade de cerâmica de diversos estilos ibéricos.
     Jé foi encontrada cerâmica ibérica no sul de França, na Sardanha, Secília e Africa; e eram frequentesas importações gregas, tais como o busto da esplendida  e Celebre Dama de Elche, que viveu no século IV antes de Cristo. Foi encontrado um busto com caracteristicas demonstrativas da forte  influência classica grega. A económia ibérica detinha uma agricultura rica, exploração mineira intensa e metalurgia desenvolvida.
     A língua ibérica era uma língua não Indo-europeia, que continuou a ser falada durante a ocupação romana. Ao longo da costa leste , utilizava-se uma escrita ibérica, um sistema de vinte e oito sílabas e caracteres alfabéticos, alguns derivados  dos sistemas fenício e grego, mas de origem desconhecida. Ainda sobrevivem muitas inscrições desta escrita, mas poucas palavras são compreendidas, exceto alguns nomes de locais e cidades do século III que foram encontradas em moedas.
     Os Iberos conservaram a sua escrita durante a conquista romana, quando começou  a utilizar o alfabeto latino. Ainda que inicialmente se pensasse que a línguas basca era descendente da Ibera, hoje em dia sabe-se que estas ertam línguas separadas.
dcb 

O POETA

O PETA


Ser poeta é ser forasteiro
Por viver nos caminhos da mente
Trabalhando as palavras como um carpinteiro
Modificando as letras tão somente.

Ser poeta é estar sempre presente
Por vezes em sentido figurado
Mas que compreende plenamente
Tudo o que algures se terá passado.

Ser poeta é tratar tudo de igual forma
Alheio aos pensamentos de cada um
Nem tampouco pensa se terá reforma
Ou se por essa época ainda haverá algum.

Ser poeta é ser criança
Sorrir, gritar sem ter maldade
Confiar no futuro com esperança
Crescer e olhar-se com humildade.

Ser poeta é ver o mundo com amor
Como perfeito deveria ser
Não olhar o semelhante com dor
E tratá-lo com bem querer.
dcb

LARGO D. AFONSO HENRIQUES

O ONTEM

O ONTEM

Eu fui o ontem!
Hoje não sei se sou
Não gosto que me apontem
A não ser aquele que me criou.

Cuja fisionomia eu não conheço
E como ele não há outro igual
Também não sei se sou o que pareço
Que é a coisa mais natural.

Ele conhece os meus defeitos
E também a minha virtude
Também sabe os seus efeitos
E os que tinha na juventude.

Diz-se que era um menino dócil
Junto de um velho muito sabido
Que me ensinou o mais ignóbil
E a perceber como era dirigido.

E tudo em mim foi guardado
Em forma de aprendizagem
Que o tempo me foi ensinando
E guardado como sendo uma garagem!...
dcb

FORTALEZA DE S. MIGUEL EM ANGOLA

ELEÇÃO DE MISSE PORTUGAL



A coroação da Misse Portugal em Angola

O BOM PASTOR

O BOM PASTOR

Sacerdote por Cristo eleito,
De virtudes e graças ordenado,
É do mestre o retrato perfeito,
E pelo supremo poder foi exaltado...

Sol da terra ao mundo deu lugar,
Sacerdote em Cristo Jesus,
Pelo seu caminho há fé ele deu lugar,
Que com seu poder nossas almas conduz...

És o nosso verdadeiro caminho,
Que conduz nossas almas aos céus,
Quem não te ouve segue sozinho,
Que o escuta fala com Deus...

Bom pastor por Deus escolhido,
Para os homens da culpa salvar,
Traz às almas o Jesus escondido,
Sobre o pão consagrado no altar...

És o sol que nos guia,
Na vida com um sorriso celeste,
Bem visto és a benção que alumia,
Aos que te seguem a eles te ofereceste...

Trouxeste ao mundo a paz,
Destes ao mundo uma lição,
Ensinaste tudo como se faz,
E amaste-nos de todo o coração...
dcb